quarta-feira, julho 24th, 2013 | Author:

Casa de tijolo a vista

Usando uma linguagem antro-pomórfica onde há um claro jogo entre figuras humanas e as fachadas e dosando humor na composição do tijolo aparente, o arquiteto transpôs para sua própria casa um jogo lúdico. Não faltam carrancas sugeridas pelas esqua-drias centrais e um tom rosado nas juntas entre as peças, graças à mistura de saibro à argamassa de assentamento.

Ao programa eclético, acrescente as características da família: o casal (de arquitetos) possui dois filhos em idade escolar, costuma receber com freqüência, quer explorar espaços para o lazer e dispor de dois ambientes de trabalho, um escritório e um ateliê. A solução foi criar três pavimentes, totalizando 320 m2.

No térreo estão dependências de empregada, lavanderia, cozinha ligada à copa através de passa-pratos e lavabo (à direita). No lado oposto estão escritório, volume da escada; aos fundos, estar e jantar, voltados para varanda com churrasqueira.
A suíte completa do casal e os quartos dos filhos, que dividem banheiro comum, situam-se no piso acima. No segundo pavimento, o jogo de coberturas favorece espaço para salão de jogos e ateliê, com banheiro de apoio. Quatro sótãos completam este nível e são utilizados como depósito.

Esquadrias de metal e madeira (desenhadas pelo arquiteto), estrutura metálica sobre a garagem e o trabalho executado com o tijolo aparente entre os pavimentos e na moldura das aberturas acentuam o humor desta proposta. Internamente, materiais práticos como o granilite (áreas molhadas), ipê (social e íntimo) e pintura látex branco (paredes) contemplam o fator economia.

Compartilhe no:
  • Orkut
Você pode acompanhar os comentários desse post através do RSS 2.0 feed. Você pode ou mandar um, or trackback do seu site pra cá.
Deixe um comentário » Log in