Arquivado em la Categoría » Arquitetos famosos «

domingo, novembro 28th, 2010 | Author:

Arquitetura e construção em São Paulo

“Nossa tarefa é criar hoje o passado de amanhã”
Frase dc Nieroeycr sobre a profissão de arquiteto publicada no livro aulo-biográfico. As Curvas do Trmpo – Memórias por Oscar Nicmeyer (Editora Rcvan, Rio de Janeiro. 1998)
Projetado em 1950 e inaugurado no ano seguinte, no centro de São Paulo, a magistral sinuosidade do edifício Copan se tornou um ícone estético da arquitetura do século 20 e símbolo de pesquisa na área de engenharia construtiva, respeitado e citado internacionalmente, até hoje, no mundo acadêmico.

Compartilhe no:
  • Orkut
sábado, novembro 27th, 2010 | Author:

Arquitetura e urbanismo em sp

O arquiteto diplomado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, em 1973, Edo Rocha, é o di-retor-presidente da Edo Rocha Espaços Corporativos, fundada em 1974, especializada em planejamento e arquitetura de escritórios e edifícios corporativos. Arquiteto, urbanista e artista plástico, membro da Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura e conselheiro do Museu de Arte Moderna (MAM), em São Paulo, já realizou mais de 450 projetos de planejamento de interiores para grandes corporações no Brasil e na América [.atina. E especialista e consultor em edifícios inteligentes, ministra palestras dentro e fora de seu pais. Outros projetos arquitetonicos veja decoração de quarto.

Compartilhe no:
  • Orkut
sexta-feira, novembro 26th, 2010 | Author:

Projetos arquitetonicos brasileiros

Para Edo Rocha, o edifício da Secretaria dc Esportes, Lazer e Juventude, na Rua Boa Vista, é uma das jóias do antigo centro de São Paulo. Erguido em 1938, pela família Almeida Prado, como sede do Banco de São Paulo, é o mais refinado exemplo da art déco na cidade, estilo que viveu seu apogeu nos anos 30. Transição entre o ecletismo e o modernismo, a art déco buscava equilíbrio dos volumes, limpeza nas formas e adequação à produção industrial. As elegantes fachadas do edifício, nas ruas São Bento e XV de Novembro, destacam-se em meio a vizinhos bem mais imponentes como o Banespa e o Martinelli. Mas é em seu interior que se encontra o requinte de seus 16 andares: os balcões de granito no saguão de entrada, o piso de pastilha cerâmica, as luminárias, de alabastro e as mesas de cristal e grani-to. “A elegância está em todos os detalhes: da porta giratória ao relógio do mezanino, do magnífico elevador ã caixa-forte alemã revestida de mármore. Felizmente bem preservado, era ali que cafeicultores e in-dusiriais, de então, guardavam suas riquezas. Trata-se de um monumento a uma São Paulo pujante, onde o centro era o coração de uma metrópole emergente”.

Compartilhe no:
  • Orkut
quarta-feira, novembro 24th, 2010 | Author:

Arquitetos brasileiros famosos

Formado em arquitetura pela Universidade Mackenzie. Roberto Loeb realizou inúmeras obras em São Paulo, como a nova fábrica da Natura, o edifício sede H.Stern, o edifício sede da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, a sede do Unibanco e da Basf Brasileira S/A. No exterior, participou de concursos para centros culturais em Nova Delhi, Florença, Nova York, Atenas, Egito e para a nova capital da Alemanha unificada em Berlim. Expôs seus projetos em Paris e participou como conferencista do XVII Congresso Internacional de Arquitetura em Montreal. Atualmente, mantém sua prolífica carreira na ativa e atua em inúmeros projetos culturais e sociais na capital paulista.

Compartilhe no:
  • Orkut
terça-feira, novembro 23rd, 2010 | Author:

Arquitetos  sp

ROBERTO LOEB.
O edifício São Vito, construído em 1959, junto ao Parque Dom Pedro II, Mercado Municipal e o Museu da Cidade (Palácio das Indústrias) é, para Rober-lo Loeb, o projeto mais significativo de São Paulo e sua aluai paixão. I m parceria com Luís Capote e consultoria de Helena Saia, o arquiteto propõe dividir os originais 25 andares, tipo vertical, em dois condomínios independentes: um com oito unidades por andar e outro com sete, totalizando 375 unidades habitacionais com 25 a 50 metros quadrados. 0 térreo e a sobre-loja serão destinados a fins institucionais e a um restaurante-escola, com o objetivo de formar microempresários e mão-de-obra nas áreas de hotelaria e alimentação, aproveitando a proximidade do Mercado Municipal. 0 Edifício São Vito será integrado ao Museu da Cidade e ao Parque Dom Pedro II através da Praça São Vito, hoje ocupada por um estacionamento de ônibus.

Compartilhe no:
  • Orkut
segunda-feira, novembro 22nd, 2010 | Author:

Arquitetura contemporânea

Durante a década de 60, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Mackenzie, Eduardo Longo se destacou pela criatividade e aptidão para o desenho. Um dos mentores do movimento denominado “Escola Paulista”, baseado na união do racionalismo e do funcionalismo, a trajetória deste profissional paulistano foi influenciada pela contracultura das décadas de 1960 e 1970, admirada por Pietro Maria Bardi e Giò Ponti, editor da Domus, revista italiana, especializada em arquitetura contemporânea. Sua obra com cerca de 120 projetos é rica em experiências técnico-construtivas conceituais, como a famosa Casa Bola, projetada com o objetivo de criar em megaestruturas, um sistema de “plugar” apartamentos pre-fabricados, não geminados. Sua obra tem como marca a revisão do pensar arquitetônico.

Compartilhe no:
  • Orkut
domingo, novembro 21st, 2010 | Author:

Arquitetos de sp

EDUARDO LONGO.
O bosque do Morumbi (Parque Alfredo Volpi) foi o lugar eleito por Eduardo Longo. “Utilizei-o como escritório ao ar livre por sete anos, de 1989 a 1996, diariamente, das 10 às 13 horas, munido de caderno e caneta, trabalhando e fazendo exercícios. Lá eu tinha a “minha” mesa onde preenchi diversos cadernos com desenhos, escritos e reflexões, exercitando, quase sempre, a escrita espelhada, tentando não censurar nada que aflorasse ã minha mente”. Otros arquitetos famosos veja Decorações.

Compartilhe no:
  • Orkut
sábado, novembro 20th, 2010 | Author:

Arquitetura e urbanismo

Jorge Wilheim nasceu em Trieste, na Itália, em 1928. Arquiteto pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Mackenzie (1952), é autor de dez livros. Foi secretário estadual de Economia c Planejamento, secretário municipal de Planejamento, secretário estadual do Meio Ambiente, presidente da Emplasa e atual titular da Sempla. Foi secretário geral adjunto na Conferência Habitai 2 da ONU. (Istambul, 1994/1996), e preside o Conselho Administrativo da Fundação Bienal de São Paulo (2000/2004). É autor de vários projetos de arquitetura, coordenador de mais de 20 planos diretores e projetos urbanos para o Pátio do Colégio (São Paulo, 1975) e do Vale do Anhangabaú (São Paulo, 1981/1991). Atualmente ministra, como professor convidado, na Universidade de Berkeley Califórnia, cursos de planejamento e urbanismo.

Compartilhe no:
  • Orkut
sexta-feira, novembro 19th, 2010 | Author:

Arquitetos brasileiros

“O edifício Esther, na Avenida Ipiranga, em frente à Praça da República, projetado na década de 30 pelo arquiteto carioca Álvaro Vital Brasil para a família Coulinho Nogueira, é um dos mais elegantes edifícios paulistanos e sempre me impressionou pela harmonia de sua fachada, pelo bom gosto de seus detalhes”, lembra o arquiteto e urbanista Jorge Wilheim. As vigas de concreto, hoje revestidas por arga-massa cinzenta, eram cobertas por placas de vidrolite preto brilhante, aumentando sua semelhança com a arquitetura do alemão Men-delsohn, um dos mestres da Bauhaus. 0 projeto original apresentava grande variação de espaços e usos: escritórios nos andares baixos e apartamentos, alguns de dois andares, nos andares mais altos. “No subsolo ficava a sede do Instituto de Arquitetos do Brasil, antes da construção definitiva. Lá havia uma galeria de arte onde se realizou a primeira exposição de Aldemir Martins. Nos anos 50, o subsolo foi ocupado pela boate Oásis. Entre os escritórios estava o de Rino Levi, onde comecei a trabalhar, ainda estudante. E, entre os seus muitos inquilinos, Di Cavalcanti e sua esposa Noemia, tinham lá seus ateliês”. Outros arquitetos do brasil em decoração de quarto.

Compartilhe no:
  • Orkut