Arquivado em la Categoría » Moveis antigos «

quinta-feira, fevereiro 14th, 2013 | Author:

Coleção milionária.

Tudo começou, dizem, por causa de um velho cão que já não podia mais subir escadas. Disposto a aliviar o leal companheiro, o costureiro francês Hubert de Givenchy decidiu ocupar apenas um andar de sua histórica mansão em Saint Germain, pondo, assim, à venda uma valiosa coleção formada ao longo de 30 anos. Entre as preciosidades levadas à leilão em Mônaco, pela Christie’s, estava este bureau plat concebido pelo mais importante ebanista do séc. XVII e da corte de Luís XIV, André-Charles lioulle. que alcançou a incrível marca de 3,2 milhões de dólares. No mais puro estilo Rococó, o móvel em ébano tem aplicações de bronze, tartaruga e detalhes em ormolu.

Compartilhe no:
  • Orkut
sexta-feira, abril 15th, 2011 | Author:

Vendas de moveis antigos

Para apreciar boas obras de arte, vá ao Marchand d’Art, uma galeria com telas, tapetes, objetos e móveis de várias épocas.

Compartilhe no:
  • Orkut
domingo, abril 10th, 2011 | Author:

Moveis classicos

Sem sair da região, você encontra boas opções em antiquários, lojas de móveis em vários estilos e complementos, dos mais sofisticados ao rico artesanato local.
Quem prefere uma linha mais clássica de mobiliário vai encontrar na Quality desde móveis até luminárias, como esta Tiffany, de Mario Piowsky.

Compartilhe no:
  • Orkut
quinta-feira, fevereiro 03rd, 2011 | Author:

Moveis para biblioteca

O estilo inglês torna-se evidente no biblioteca, onde o foco das atenções é a estante de porte solene, com suas colunas em relevo. Na sintonia, sofás Chesterfield em couro com capitonê. Cuidados ò parte foram tomados com a iluminação, projetada com lâmpadas dicróicas e abajures. Um dos efeitos mais marcantes aparece sobre o aparador em jacarandá, do século XVIII, que apoia coleção de castiçais em prata baiana. Complementam o espaço, quadro de Mendonça Filho e mármore de Bruno Giorgi.

Compartilhe no:
  • Orkut
quarta-feira, fevereiro 02nd, 2011 | Author:

Moveis antigos de madeira

Em cada objeto, uma história e um quê de passado. Ao lado, um exemplo mais que perfeito: trumon italiano datado do século XVIII, totalmente em radica. A peça guarda raridades em seu interior e simboliza o apreço dos proprietários por pequenas delicadezas.

Compartilhe no:
  • Orkut
segunda-feira, janeiro 17th, 2011 | Author:

Comoda de madeira maciça

Forma inusitada na cômoda “Knox”, assinada por Beth Neves, em sucupira com pés e vergalhões cro-mados. 1,00 x 0,65 x 0,80 m. Marcenaria Brasileira.

Compartilhe no:
  • Orkut
domingo, janeiro 16th, 2011 | Author:

Cômodas para quarto

Em mogno e pluma, cômoda Serpentine com pu-xadores importados. Nos pés entalhados, aplicação de folha de ouro. 1,05 x 0,51 x 0,85 m. Tudor House.

Compartilhe no:
  • Orkut
quinta-feira, janeiro 13th, 2011 | Author:

Comodas antigas

Perobinha do campo é utilizado na cômoda Rússia que mostra ainda detalhes ebanizados e ferragens belgas. Mede 1,50 x 0,60 x 1,00. Doroti Riotto.

Compartilhe no:
  • Orkut
sábado, novembro 06th, 2010 | Author:

Mobiliario antigo

DECORAÇÃO REALÇADA POR UM TRAÇO NEGRO.
Se a decoração esculpida não está muito presente, esta é substituída ou acompanhada de uma ornamentação sem relevo mais colorida e realizada por incrustações de buxo claro que cresce na região, de síncomoro tingido de verde, de um pouco de amaranto ou de ébano ou pereira escurecida. De resto, nesta região gostavam de realçar algumas molduras com um filet negro, traço bem típico da Charente, em particular, nas cabeceiras das belas camas de colunas, presentes até nas casas mais rústicas.
Outro detalhe característico: as incrustações de placas mais ou menos grandes em madeiras de ramagens que podiam atingir as dimensões de um painel de porta.
Decididamente, na La Rochelle, apreciavam-se os pontos de contraste marcantes, bem como as madeiras inesperadas. Contraste e fantasia, eis, pois, as palavras-chave deste mobiliário!

Compartilhe no:
  • Orkut
sexta-feira, novembro 05th, 2010 | Author:

Armário roupeiro de madeira

AS FERRAGENS CONTRASTANTES.
Se bem que um traço característico do armário desta região reside na discreção da decoração, salvo na parte inferior do móvel, na travessa eventualmente e, sobretudo, na ampla gaveta junto à base, os puxadores de ferro e as suas placas têm um grande papel. Pouco a pouco, as ferragens começaram a revelar-se de uma grande importância decorativa cada vez mais desenvolvida. As fechaduras verticais nas portas e horizontais nas gavetas alongaram-se exibindo os seus recortes cinzento-azulado na cerejeira cor de mel. E não existiam apenas nos armários, também noutros pequenos armários com uma só porta («bonnetières») que se encontravam em grande número nas casas da região da Charente. Do mesmo modo elas ali estavam sobre o grande louceiro que reinava em todas as cozinhas e nos nobres aparadores dois-corpos, sumptuosos, mas mais raros.

Compartilhe no:
  • Orkut